quarta-feira, 19 de julho de 2017

Linguagem do corpo




Os olhos voltados pra cima
A boca seca
Os lábios trêmulos 
Os dedos que se fecham
Meu corpo denuncia
O que a palavra não reconhece
O corpo denuncia
O que a mente desapercebe
O horizonte parece frio demais
Os outros têm seus olhares em mim...
Como se decorassem toda linguagem do meu corpo
Mas o que eu sinto?
O que eu percebo?
O que eu não vejo?!
Queria sair de mim,
Perceber tudo como nunca antes
Mas esta mente, 
É quem mais omite
Mais mente


Nega o que sente. 


G.MOON

segunda-feira, 10 de julho de 2017

Desejo e solidão


Em tudo há meu desejo de solidão
Em cada passo meu, o rosto se contorce
E a pele se aquece
Gritando-lhe: Solidão
Quem sabe eu te peça uma palavra?
Quem sabe? Aproxime em um abraço?
Mas o meu corpo
A minha voz e todo meu canto
Vive na solidão
Solitude
Solitário canteiro
A palavra dita em um único sossego
A sombra de um pé de laranjeira
O pôr do sol e o alaranjado das nuvens 
A luz incide
E meu corpo é somente solidão
As palavras também parecem surgirem por si mesmas
Tatuam-se no tempo
Cobrando meu destino
Cantam e contam 
A solidão.
Quem sabe um dia uma alma sozinha
Encontre em um abraço algo que a comporte
Algo que afague, mas não afaste
O canto deste corpo
Encantado em solidão.

G.MOON

sábado, 8 de julho de 2017

Felino



Como um felino à espreita
Ela se agacha e espera
O seu bote pronto
As garras afiadas
Arrepia-se
E se revela adentro ... 
Nas noites de lua cheia
Onde ela se vê completa
Cheia de sonhos a vista
Às vezes parece bicho amuado
Quieto e reservado
Nada lhe interessa
Nada a convence
Mas ela pode ser muito mais
Do que qualquer um pensa
Seus olhos brilham em dourado
Seu corpo macio pode procurar um colo
Mas não por muito tempo...
Não em demasia

Pois ela se cansa
e seu corpo, sozinho
carrega sua própria alegria.

G.MOON

sexta-feira, 30 de junho de 2017

(in)Decisão



Qual a sua decisão?
Diga-me, antes que esta noite termine
E as estrelas com seu brilho não me alumiem mais
Antes que meu sorriso se apague
Antes que minha mente pare

Não entendo teus sinais
Esses teus gestos incertos
Os véus de furtivos movimentos
Que encobrem o teu rosto

Eu desejei estar tão perto
Eu desejei os teus suspiros
As palavras que me alegravam

Mas, agora, não entendo..
Qual sua decisão?

Diga-me
Antes que meus sentidos esqueçam 
como era antes desta confusão
Antes que tudo não passe de memorias amareladas
 neste meu passado erguido na
indecisão


G.MOON

sábado, 24 de junho de 2017

Momento difícil


Difícil perceber o momento em que não vê ninguém pra desabafar. Ninguém parece te compreender muito bem. Ninguém demanda teu tato ou teu abraço. Perceber que aqueles que pareciam ser amigos te deixaram em um momento difícil

Sentir-se abandonado 
Isolado entre muitos
Perdido entre vozes e risos

Como se sua existência pouco valesse ali. O que vale uma palavra trocada ou outra?
Quando os laços se desatam como se estivessem em areia movediça. Desmontando-se em uma velocidade que realmente não dá pra compreender

Talvez seja eu que crie expectativas demais. Talvez sejam eles que pouco me valorizam.

Mas a vida é assim... Não?
Nos vemos sozinhos
Desamparados

E o fato é...
Abraçar esta solidão. 

G.MOON

domingo, 18 de junho de 2017

Criança liberta




Queria ser criança liberta
Criança nascida do verde louro
Que grita aos sete ventos
E pula de pés descalços 
Sobre a terra árida deste terreno
Uma criança que não tem medo dos espinhos da flor
Celebra sua curiosidade
Andando entre os pântanos úmidos
À procura de novos territórios para construir suas fantasias
Nada de parquinhos
Ou brinquedos que pouco me exigem de 
Tato
Queria ser criança da terra
Crescendo em raízes férteis,
as verdes folhas e seus finos ramos
Florescer e brincar no amanhecer de um dia fresco
sem mais temer os ventos
sem mais temer as tempestades
nem as cicatrizes... 

G.MOON

quinta-feira, 8 de junho de 2017

Prosa do dia 08/06/2017


Dias sem aula e sempre a mesma sensação de solidão, misturada às indagações  sobre o que eu devo fazer do meu futuro. Eu já estou tão acostumada, que quase não me deixo mais abater por estas coisas... Então, o que faço para aliviar? Escrevo ou fico a agir do modo mais objetivo o possível, mesmo que todas as dúvidas rondem a minha cabeça. Ou... simplesmente escuto música. Música que me acalma, me acalenta...  Como esta de Tame Impala, por exemplo... Banda que eu me viciei esses tempos.


Uma das coisas que mais ocupam meus pensamentos esses dias é... Será que fiz a escolha certa na universidade? Eu sempre gostei de Psicologia e qualquer coisa que envolva a subjetividade, a singularidade humana. Porém, quando me deparei ao curso, são tantas coisas diferentes... Tantas concepções diversas sobre o que é o ser humano, como ele se constitui, como ele vê e apreende o mundo... O que eu chego a pensar ser consequência dessa nossa diversidade mesmo de ser... Porém, sinto-me perdida em alguns momentos... Sem saber o que escolher, o que me identificar... É como um imenso banquete onde não sei do que me servir, tudo parece bom (quer dizer, nem tudo rsrs), com seus defeitos, mas imensas qualidades...
Ainda tem a questão de que eu não sei se darei conta. Ser psicólogo é muito complicado, de verdade. É incrível saber do outro, mas... Lidar com o sofrimento do outro, sem correr o risco de se envolver demais, bicho, é dureza. Mas eu não posso me desvencilhar para pensar agora... Tenho responsabilidades as quais não posso me abster :')

*******

Mas... mudando completamente de assunto... Aconteceu uma coisa muito chata comigo, que eu descobri ontem... Pesquisei uma fanfic minha (ainda em construção) no Google, e acabei descobrindo um serzinho que copiou minha sinopse, mudou o nome da protagonista e pôs em forma de vídeo... Sério, às 23:00 de ontem, senti que explodiria de raiva, mas antes de fazer qualquer besteira, postei em um grupo do facebook e várias pessoas me ajudaram a denunciar, mas não sei se o vídeo será excluído.
Eu amo tanto as minhas histórias e poesias... Faço no papel, passo para o computador.. Edito, reedito, leio e releio até acreditar que estou satisfeita e vem uma pessoa e copia meu texto sem o mínimo de respeito... Sei que foi apenas a sinopse, mas para pegar os capítulos restantes não faltou muito. Eu espero que consiga resolver isso, se não, vou ter de tomar outras providências ( ainda preciso ler sobre as denuncias no YT).

******

*Enfim... Apesar de tudo, estou tentando me manter mais calma. Não conto mais tanto com o tempo, mas tento meditar a prudência... E o meu ritmo. Acho que é isso... Se será bom ou não... Não sei :)

G.MOON

Linguagem do corpo

Os olhos voltados pra cima A boca seca Os lábios trêmulos  Os dedos que se fecham Meu corpo denuncia O que a palavra não r...