segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

#É Sangue




Sonhos, eles revelam tantas coisas que nós sentimos. Diversas vezes revelam tantas dores enterradas na alma. É Algo que às vezes eu prefiro nem ter. Alguns parecem ser totalmente sem sentido, mas, se conseguirmos lembrar de cada cada detalhe do sonho — o que é bastante difícil — perceberemos um sinal dos nossos anseios, dores e, até alguns amores.

Ontem tive um sonho que descosturou uma cicatriz. Uma que ainda estava meio aberta.
Desde que acordei esse fantasma está a me perseguir.  Não adianta tentar fugir, mas é algo forte demais. É bom não se importar, é bom fingir que está tudo bem? Forçar um sorriso inútil é vil, desrespeitoso consigo mesmo. Algo sempre vai trazer aquilo de volta, sejam os sonhos, seja a vida. 
Enfrentar assim de frente é sangue. É ver sangue na pele. 

Pelo menos, nos sonhos é sempre algo mais leve e mais bonito. Uma ilusão aos nossos sentidos. Não eram lágrimas, eram sorrisos alegres, conversas, reconciliações e amor verdadeiro. Não gosto de lembrar, não gosto de sentir lágrimas quentes e salgadas no meu rosto, mas é covardia não querer enfrentar. Não querer pensar.  Eu só queria que fosse como nos sonhos, mesmo sendo uma ilusão.




Desculpe-me, mas eu precisava desabafar um pouco. ÀS vezes falar um pouco da nossa dor é necessário.










Nenhum comentário:

Postar um comentário

Imagem

Há uma imagem de mim Há uma imagem de ti Há um sentimento de nós O encontro, onde está o confluir? Um pedaço aqui O...