sábado, 15 de fevereiro de 2014

#My darkest Sin





É engraçado como eu vejo certas coisas ao meu redor, e sinto raiva delas.  Só que, ao mesmo tempo que a raiva me invade, a culpa também vem e se apodera da minha consciência. Pois eu sei, que se dependesse de mim, tudo poderia ser diferente, e eu teria tudo que quisesse. Mas, infelizmente tudo que eu faço é trancar-me e ver tudo ir embora como se nada estivesse acontecendo. Como se não fosse importante para mim, como se não fosse me fazer falta. Covarde, fria, egoísta. Tenho certa cólera de mim mesma que está contida e, só espera algumas faíscas para explodir. Agora, minha mente é puro esquecimento, mas tudo tem sua hora de se confessar. Só não quero sofrer demais nessa hora. Porém, sei que meus reflexos serão duros, e será impossível estancar quando tudo chegar.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Criança liberta

Queria ser criança liberta Criança nascida do verde louro Que grita aos sete ventos E pula de pés descalços  Sobre a terra ...