quinta-feira, 22 de maio de 2014

- " Nosso conto de fadas que se apaga..."



Esperava pela janela, o inicio do meu conto de fadas. O cavalo branco, ou negro, o que for. O príncipe encantado, esperando-me na sacada, onde eu suspirava ao ver o seu semblante vivido e cheio de esperança. Nos contos de fadas só há maravilhas, cantos alegres, sorrisos sem motivos. As terras que permeiam nossa infância, enchem nossos olhinhos miúdos, trazem ilusões de um mundo de alegria. Pequenas mentes inocentes, aturdidas desde os primeiros passos, assustam-se com o ponta cabeça que é o real.Tudo é de pintado de cinza e não sobra o contentamento das cores vividas desses belos sonhos. Fugir, afundar ou erguer. 
Os caminhos se alargam e muitos se perdem.
Encarar os passos, as pedras que se formam e rolam, é o tudo que não nos ensinaram.
Estranho mundo, por que nos nega nossos contos de fadas?

 ------ x ------

Onde será que eu estava com a cabeça ao escrever isso? Sei lá hein...
Bom, acho que posso respirar um pouco mais esses dias, apesar dos trabalhos 'trabalhosos' que estão vindo por aí. Queria que esse ano acabasse logo, ainda bem que já estamos no final de maio. Estou tão desnorteada esses dias por causa das atividades escolares, nunca estive tão doida por conta da escola. É tanta coisa pra pensar e fazer que... Nossa. Fico pensando em quem faz cursinho ou outra coisa, deve ser ruim conciliar tudo. Queria entrar em um conto de fadas e sumir nesse mundo.
~ Bom, falando em ficções, os meus projetos estão bem parados, mas pretendo retomar esses dias, para dar um 'ânimo' para minha criatividade. Estou precisando escrever bastante, para descarregar todas as minhas preocupações e aflições. Pessoas introvertidas têm essas coisas né? 

Blog parado, sem coisa alguma. Preciso urgentemente voltar.




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Criança liberta

Queria ser criança liberta Criança nascida do verde louro Que grita aos sete ventos E pula de pés descalços  Sobre a terra ...