terça-feira, 17 de junho de 2014

- "Combate..."



Somos guerreiros que a vida entregou às traças. Juntos, temos nossas espadas em punho, mas os ventos são fortes demais e, vigas de pedra, impedem-nos de traçar o nosso mais desejado destino.
Estamos sozinhos, em meio à chuva, à selva, a todos os rostos virados. À todas as portas batidas, sem ao menos receberem nossas desculpas por sermos, simplesmente, nós mesmos.
Somos iguais; Somos todos,
Mas, em nossos rostos estão as marcas das batalhas travadas. Vermelho, escarlate; Derramados sobre a pele. Cortes, sangue. Tudo sempre foi tão duro, não olhamos para os céus, pois até Eles nos abandonaram.
Roubaram-nos a glória.
Tiraram-nos lágrimas
Fincaram-nos adagas.
A beleza dos nossos dias se foi. A antiga alegria das nossas palavras desapareceu.
Fugimos,
Corremos,
Fomos até a pior das fendas.

Porém, aprendemos que, até mesmo nós, os "delinquentes", somos capazes.
Podem ser fortes
Podem ser dignos.
Podem ser mais humanos.






Nenhum comentário:

Postar um comentário

Imagem

Há uma imagem de mim Há uma imagem de ti Há um sentimento de nós O encontro, onde está o confluir? Um pedaço aqui O...