quinta-feira, 23 de outubro de 2014

- Fragmentos



Eu te trouxe essa poesia
E você pode fazer o que quiser dela
Não mais pertence a mim
Mas meu seio desnuda-se nela
Pode encosta-la
Ignora-la,
Mas nunca a deixe só
Nem tão longe
Nem tão perto de você
Entreguei-te minhas únicas linhas
Aquelas que construí 
Desde a última vez que pude te ver
Tocar-te
Entregar-me a você
são pequenos pedaços de mim
fragmentados em palavras
que lutam contra teu,
des-amor.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Criança liberta

Queria ser criança liberta Criança nascida do verde louro Que grita aos sete ventos E pula de pés descalços  Sobre a terra ...