quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

terça-feira, 30 de dezembro de 2014

Verso de honra



lá se vão os guerreiros
de mãos unidas
nesta noite gloriosa.
os sorrisos se fazem nas ruinas
e nas desgraças
que enfrentam no dia a dia.
podem ter a dor,
e as marcas
atadas em brasa
- é a gloria clamada em suas almas


domingo, 28 de dezembro de 2014

Fanfic Junjou Romantica - "Entre dúvidas e certezas" - Cap 03 (Final)




 
A calmaria das ruas parecia tão confortadora pra mim, após aquela tensa conversa com meu irmão. Como já estava próximo de casa, adiantei o passo, como se minhas pernas criassem vida e se direcionassem para algo que eu não consegui mais controlar, aqui dentro de mim. De repente, vi um carro vermelho conhecido vindo em minha direção. Algumas pessoas olhavam curiosas para ele, era um carro esportivo e um típico carro de luxo. Eu sabia de quem era.

sábado, 27 de dezembro de 2014

Fanfic Junjou Romantica - "Entre dúvidas e Certezas" - Cap. 02



Naquela mesma noite, passei no quarto do Usagi-san, para deseja-lo um boa noite. Percebi que ele estava bastante sério em seu trabalho, talvez por que faltasse pouco tempo para entregar. Ele me respondeu com sua voz suave de sempre, e não insistiu para que eu ficasse em seu quarto, com certeza, passaria a noite trabalhando.

Fanfic Junjou Romantica - "Entre dúvidas e certezas" - Cap. 01

Depois de mais de 15 dias, consegui terminar essa fanfic... Enfim, estava com alguns problemas de procrastinação e a movimentação em casa não ajuda (afinal, estamos falando de uma fic yaoi...) Mas, felizmente, consegui dar um jeitinho e terminar os três capítulos. Não sei se ficou muito boa, e também, acredito que está bem """sonhadora""". Na verdade, fanfics podem tudo... Fiz de uma forma que mostra +/- como eu queria que o Misaki agisse. É narrada em primeira pessoa, o protagonista é o Misaki-kun, meu Uke favorito.  Eu até pensei em botar na voz do Usagi, mas, é quase ''impossível'' para mim. Usagi é meio que '''''impensável'''' seria bem difícil de imaginar seus pensamentos. A fic tem muitos spoilers de Junjou Romantica... O mangá já se passa 3 anos depois.. Quis fazer nessa época.... Então, vamos à Fic! :3

sexta-feira, 26 de dezembro de 2014

- Quatro estranhos



Éramos apenas quatro estranhos
Estranhos, dividindo o mesmo espaço vazio
Estranhos, ligados pelo sangue
Mas, distantes, além do pensamento.
Éramos quatro peças,
Tentando encaixar-se em formas distintas
Dispostas em pólos divergentes
Que se retraem a cada quase-toque.
Cada qual vira-se para seu horizonte
Cada qual distanciando-se a seu desejo
Sangue? Nada mais importa.
Não mais acreditam serem semelhantes.

quarta-feira, 24 de dezembro de 2014

Vencedor - Augusto dos Anjos...




Vencedor
 
"Toma as espadas rútilas, guerreiro,
E à rutilância* das espadas, toma
A adaga de aço, o gládio* de aço, e doma
Meu coração — estranho carniceiro!

Não podes?! Chama então presto o primeiro
E o mais possante gladiador de Roma.
E qual mais pronto, e qual mais presto assoma*
Nenhum pôde domar o prisioneiro.

Meu coração triunfava nas arenas.
Veio depois um domador de hienas
E outro mais, e, por fim, veio um atleta,

Vieram todos, por fim; ao todo, uns cem…
E não pôde domá-lo, enfim, ninguém,
Que ninguém doma um coração de poeta!"


  Augusto dos Anjos... 
*Rutilância - Brilho
*Assoma - Ponto mais elevado
*gládio - espada
 

terça-feira, 23 de dezembro de 2014

- Vampiros




"Cuidado Vampiros: o sangue que você escolhe para sugar, escolha com sabedoria, ele pode preencher seus poros de dentro para fora com um veneno perverso desconhecido para você. Talvez você tenha dado uma mordida em carne que você não consegue lidar. Talvez eu seja também um vampiro, ou uma nova criatura morta-viva que você ainda tem que conhecer."   Lady GaGa 

Prosa do dia + Poema "Espelho"

Estou na onda dos Trapiru ~~

Depois de algum tempo sem mexer neste blog, quis fazer umas mudanças básicas aqui... Coloquei umas cores mais alegres e pastéis, além de meu trap favorito como Tema, Lady Phantomhive *-* Meu blog está com cores de doce, se tivesse cheirinho, seria de Melissa (o sapato) rsrss.

Bom... Final de ano chegando e todas aquelas mesmas cerimônias de sempre... Natal, Ano Novo, Família, blá, blás... Aqueles mesmo discursos que eu prefiro me manter longe, mas fazer o que se as pessoas continuam a acreditar, não? Pra mim, Natal só serve para comer, e olhe lá, algumas coisas eu até corto. No momento eu estou aproveitando um pouco para ler mangás, terminar os livros "atrasadidíssimos", assistir filmes, enfim... Ficar na preguiça... Além de escrever projetos 'atrasados', mas estou adiantando algumas coisas. Quer dizer, está bem difícil aqui em casa... Toda a família, além de festas de fim de ano, fica um barulho sem fim, e a concentração simplesmente foge, mas... Certos momentos são até bons. Estou tentando aos poucos controlar minhas ansiedades, descarregando em coisas que gosto de fazer, e está dando certo. Às vezes me pego pensando em situações ruins, aquele pessimismo de sempre, mas logo fujo e implanto pensamentos bons, confortáveis.


Espelho

Além do preto ou do branco
As cores que se manifestam aqui
Transparecem-se do outro lado
O espelho, que nos separa - ou une?
Sentir as tuas mãos nessa superfície lisa
Faces de um mesmo quadro
Completamo-nos em sintonia 
Incerta - ou contrária
Capturamo-nos através desse frágil espelho
A luz que te reflete para mim
Seria a minha face?
- Seria a tua face?
Talvez, seja a nossa alma.



Seria isso epifania? Acho que não. Eu estava escrevendo esse post, quando, DE REPENTE, veio uma frase em minha mente e saiu esse poema... Que coisa doida? Será assim com poetas? Poemas feitos em momentos de ... Sei lá... Transe? Que louco.




segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

- o louco das cantigas.




Sou o louco das cantigas
Aquelas de amor
Que jamais sairão de moda
Sou um doido preso em tuas mentiras
Cantadas naquelas noites frias de maio
No vislumbre dos teus verdes olhos
Menino, jamais cante comigo
Já estou tão perdido,
Consertando meus retalhos
Que, temo tua bela voz feiticeira
A cantar escárnios para meus ouvidos.
Não posso mais me envolver em tuas notas
Ou, esses meus últimos pedaços
Escaparão como grãos de areia ao vento
E eu, destrambelhado em tuas melodias
Deixaria me levar por elas
Reproduzindo as mesmas poesias
Que fizeram-me um louco por tuas ilusões.



#Ia postar poema com frases iniciadas com letras minúsculas, fiz o poema às pressas, mas como sou uma menina disciplinada, consertei as frases. Adoro quando me dá uns estalos e faço poemas assim... Sinto-me tão bem :3  Esses dias têm sido corridos mesmo nas férias... Já estou resolvendo os documentos da matrícula na universidade...Tenho que correr né :3 Estou tão feliz, muito mesmo <3 



sábado, 20 de dezembro de 2014

- Paradoxo?



A beleza dos astros me parece tão distante
A milhas de distância
Refletindo a luz do passado.
Nesses estranhos momentos,
Percebo que a vida,
Parece apenas mais um ponto
Negro, corroendo
Nas dimensões desse uni-verso.
Que nada parece tão longínquo
Tão pequeno, e tão louco
Nesse uni-verso de sagas e galáxias
Que nossos olhos - fracos
Jamais poderão contemplar no todo.
Tudo-Nada, somos dimensões de pequeno
Mas, nele também somos muito grandes.

quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Que venha o Futuro!! - Prosa do Dia 17/12


 
Hoje só parecia um dia normal de férias... Acordei, fiz o que tinha para fazer em casa, naveguei um tantinho na internet e, durante a tarde, fiquei a assistir "Quando mais quente melhor" com minha irmã mais velha, estava bem calma e despreocupada. Quando, a minha outra irmã, atualmente morando em outro estado, liga para mim e me dá uma notícia que eu menos esperava! Sério, quantas vezes eu disse que não ia conseguir? Ainda mais que era a primeira vez, achava que meus acertos não foram o suficiente, que tudo estava tão longe ainda... Mas, quantas pessoas me disseram que não?  Não vi lágrima alguma em meus olhos,  estava feliz demais para isso, não parecia ser verdade. Mesmo que a jornada comece agora, só de ter conseguido ultrapassar essa primeira etapa! Nossa, é uma sensação de alívio... Tão grande! 17 anos... E, hoje dia 17/12, recebi a notícia que passei em Psicologia, na universidade que eu queria! Relatei aqui minhas aflições, todos os meus medos, meu pessimismo e, acho que me deram tanta positividade que passei!! Torceram tanto por mim, estou tão feliz... Quando recebi a notícia.. "Mentira... Mentira.." Mas não, engano meu, era verdade! Meus colegas de escola,  familiares, amigos, amigos de amigos, amigos de familiares, nossa, todos me parabenizando... Nunca me senti tão realizada, animada! Tantos abraços... Como é bom ter essa sensação!
Agora, é só dar o máximo de mim para conseguir ser muito boa naquilo que quero! Que venha o futuro!


segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

- Quem será este eu?


Quem sou eu?
Quem sou eu?
Ah! Para os diabos quem sabe
Não preciso de linhas
Que delimitem até onde poderei ir.
Meus caminhos
Sempre estão fora dos eixos
Enveredando por vias
Onde eu piso,
Sem ao menos poder enxergar.
Palavras, linhas e folhas
De nada serve 
Para esse meu coração torto
Desajeitado
Tamborilando pelas marcas da vida
Sem querer-saber seus próprios destinos.


sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

- Assim, termina-se mais um ciclo.

  

  Hoje foi o último dia. É o fechamento de um ciclo, para o início de outro. Enfim, estive feliz no dia de hoje, confraternizações aconteceram antes, momentos tão felizes ao lado dos meus colegas, mas hoje, dia de prova, cada um se abraçou e depois fomos embora, cada um para seu lado. Ainda temos que buscar os resultados, porém, hoje, oficialmente, há o término de uma laço de quase 3 anos...   
   Sabe, me peguei pensando, em como estará minha vida daqui há alguns anos, se vou sentir falta, se algum dia poderei rever todas essas pessoas que cruzaram meu caminho. Foi um ano bem difícil, trabalhos, choros, momentos de alegria com meu grupo - eu , alguém que quase nunca se importava tanto com harmonia de grupo, afinal nunca participava de grupos de amigos, nunca tive momentos tão intensos como esse ano. Passei a valorizar ainda mais as amizades que tenho e, com certeza, muitas visões minhas mudaram ao longo do tempo. Aprendi muito, ganhei muito, não sei se curti tanto como deveria, mas só de ver tantos sorrisos, festa, carinho, abraços, sentia-me feliz, integrada, bem mais amada. Descobri muitas limitações minhas, as coisas que mais me agradam, muitos medos, apreensões... Mesmo que quieta, em meu silêncio, esse ano foi produtivo até demais para conhecer a mim mesma, acabei me dando conta que não somos e nem podemos ser perfeitos e, sim, podemos sempre melhorar e evoluir como ser humano.
  Certos momentos marcam nossas vidas eternamente, pessoas também, e, com certeza, esse ano está marcado em minha memória. Espero não amargar com o tempo, e desvalorizar tudo o que vivi esse tempo, porém, acredito que se eu cultuar todos os meus bons momentos, todos os dias, jamais os esquecerei. Tenho certeza que lágrimas rolarão pelo meu rosto, mas, vou saber que tudo isso valeu a pena e que, eu nunca poderia ter tido algo melhor. Posso ter reclamado durante o percurso, mas nada é perfeito demais e, sempre haverá conflitos, não importa onde eu esteja. Lidar com pessoas é assim. 
  Enfim, fiz esse texto inteiro e consegui refletir o que eu estou sentindo no momento. Apesar dos meus medos para o futuro, estou bem feliz, queria estender um pouco mais, entretanto é como dizem, "nada é para sempre", o que me resta é caminhar pacientemente para meu futuro e torcer para todos os meus colegas, mesmo que não mais os veja....


quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

- O oco de cordas



tiritando, sacudindo-se
assim está o oco de cordas,
dentro da caixinha
escura, fria, 
presa numa forte armadura.
seus tum tum's são fortes
respira com dificuldade,
mas sobrevive,
mesmo sem espaço
para poder se expandir.
quase ninguém escutou,
sua doce melodia,
rítmica, dentro da caixinha.
quase ninguém se importou
com seu tum tum forte, porém tímido.
então, ele se abafou, ainda mais 
em sua arca de aço.
o tempo passou,
e, seus impulsos tornaram-se 
cada vez mais profundos.
o oco de cordas endureceu, quieto
alheio a qualquer som que ousasse
atrapalhar sua doce,
tímida, poesia.


sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

Entre fios desatados.



Perco o equilíbrio
Em transe, enrijeço o corpo
Entre as grandes linhas,
Estão os fios desatados.
Desperto.
Corro entre eles, desesperado,
Procurando atá-los
Em uma desenfreada partida,
A consertar aquilo
Que eu deixei cair para as traças.
Meu corpo é um emaranhado
De linhas expostas às ruas
Expostas para quem se dispuser
A juntar,
Todos os retalhos
Em duas almas,
Despedaçadas.


- Desamparo



Só restam mais algumas pedras
E, as ruínas de mais de 100 anos
Se despencam em alguns segundos.
Eu espero, calado,
Sob seus últimos pedaços
Vislumbrado com sua fortaleza
Que antes me acolhia.
Nunca imaginara perder suas forças
Mas, tudo está se esvaindo
Leva meus verdes louros,
Esquece minhas longas correntes.


* Será que tem a ver comigo?... :/

terça-feira, 2 de dezembro de 2014

- Mais alguns desabafos...




Cansada? Talvez.


Desde domingo até hoje estive prestando vestibular. Disse aqui em outro post , que estava com muitas dúvidas em relação ao meu futuro e, ainda continuo com elas. Estão apenas se acentuando, cada vez mais. Porém, eu acredito que seja um processo natural de todo adolescente indeciso como eu. Optei pelo curso de Psicologia, o qual na minha cidade está bem concorrido, estou quase ciente que não vou passar, mas sei que vai me bater certa frustração quando todo resultado sair. Parar um pouquinho de falar sobre isso... Parando, por que já está chato :P

Enfim, final de ano e as confraternizações já estão chegando! Nossa, 2014 passou de raspão. Tão rápido que eu nem vi as horas correrem... Também, o ano foi tão corrido para mim, por causa da escola... Mas, estou bem feliz ( mas um pouco confusa) Por estar completando esse ciclo. Conheci pessoas maravilhosas, consegui fortalecer algumas amizades e pude ter muitas experiências boas, enfim, acho que foi meu melhor ano escolar...  O Pessoal da minha sala, apesar de não ser muito unido, agora está se "juntando" para fazer um final de ano legal, proveitoso para todo mundo. É bom também esquecer as desavenças, passar uma borracha e partir... Afinal, ano que vem cada qual ficará no seu quadrado. Universidade, trabalho, faculdades, estágios... Começo da vida adulta batendo na porta, é bom se preparar.

Bom, deixando um pouquinho escola, adolescência... FINALMENTE, CONSEGUI INSPIRAÇÃO E BURLEI MEU TEMPO PARA FAZER UMA FANFIC!  Em Caps porque sim. Estou construindo uma fanfiction de Junjou Romantica, já na atualidade de Misaki e Usagi! Sempre quis fazer uma fic dos dois, e agora tive uma leve ideia sobre o que escrever. Estou no capítulo dois ainda, mas quando terminar pretendo postá-la aqui. Faz mais de 9 meses que não escrevo uma fic e fiquei com muita saudade, pois, apesar de só ter feito 3 até agora, eu gostei da prática e ajuda a aperfeiçoar a minha escrita. Irei postá-la também no Social Spirit e no Nyah!Fanfiction. 

Enfim, momento desabafos nas Prosas do Dia! 




segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

"A sina dos vivos?"


Os corvos apareceram sobre os montes
E, uma nuvem negra cobria meus pensamentos
Os olhos se fechavam em processo lento.
Enrijecido, o corpo não mais se movia
Pensei, conformado:
"Perecerei, essa é a sina dos vivos...
Nasci cresci, vivi, sempre pronto para o fim..."

Frio, como uma pedra de mármore,
Vi aquela Dona desconhecida,
Em sua capa escura, estender suas mãos.
Segui com ela, deixando para trás
Meu casulo rijo, a ser devorado pela terra.
As portas de repente se abriram,
Minha visão turva, tentava distinguir àquelas formas
Mas, o que eu via, eram apenas borrões
Que transmutaram-se no mais puro branco.
A Dona de capa escura desapareceu,
Deixando-me com sua bela voz a sussurrar:
"Acompanhe sua nova e verdadeira estrada..."
Meu corpo vibrou em espasmos de choques
De repente, retornei à escuridão.
Despertei sobre os montes, o casulo desparecera
Mas, minhas memórias,
Permaneceram presas à esta alma,
Prontas para serem reconstruídas.


Chamam meu nome?

Entendo aquele olhar Chamam meu nome lá fora? Entendo aquele toque Chamam meu nome lá fora? Não há futuro para mim aqui dentro Não...