sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

Entre fios desatados.



Perco o equilíbrio
Em transe, enrijeço o corpo
Entre as grandes linhas,
Estão os fios desatados.
Desperto.
Corro entre eles, desesperado,
Procurando atá-los
Em uma desenfreada partida,
A consertar aquilo
Que eu deixei cair para as traças.
Meu corpo é um emaranhado
De linhas expostas às ruas
Expostas para quem se dispuser
A juntar,
Todos os retalhos
Em duas almas,
Despedaçadas.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Just another day...

Oh, eu aceitaria umas duas ou três Ou outras maneiras de viver Mas hoje eu não vou ser tão dura comigo mesma Eu vou caminhar so...