quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

- O oco de cordas



tiritando, sacudindo-se
assim está o oco de cordas,
dentro da caixinha
escura, fria, 
presa numa forte armadura.
seus tum tum's são fortes
respira com dificuldade,
mas sobrevive,
mesmo sem espaço
para poder se expandir.
quase ninguém escutou,
sua doce melodia,
rítmica, dentro da caixinha.
quase ninguém se importou
com seu tum tum forte, porém tímido.
então, ele se abafou, ainda mais 
em sua arca de aço.
o tempo passou,
e, seus impulsos tornaram-se 
cada vez mais profundos.
o oco de cordas endureceu, quieto
alheio a qualquer som que ousasse
atrapalhar sua doce,
tímida, poesia.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Criança liberta

Queria ser criança liberta Criança nascida do verde louro Que grita aos sete ventos E pula de pés descalços  Sobre a terra ...