segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

- Quem será este eu?


Quem sou eu?
Quem sou eu?
Ah! Para os diabos quem sabe
Não preciso de linhas
Que delimitem até onde poderei ir.
Meus caminhos
Sempre estão fora dos eixos
Enveredando por vias
Onde eu piso,
Sem ao menos poder enxergar.
Palavras, linhas e folhas
De nada serve 
Para esse meu coração torto
Desajeitado
Tamborilando pelas marcas da vida
Sem querer-saber seus próprios destinos.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

desculpe, querida

desculpe, querida se minhas palavras são incontidas se meu toque te abomina se o meu sorriso e o meu corpo não são o suficient...