quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

- Sombras



Eu estava lendo um livro aqui e, passei a refletir sobre algumas coisas... Sabe, o nome desse livro é “A Sombra interior” de James Hollis, comprei por acaso aqui na Feira de livros da minha cidade e depois descobri que ele é de Psicologia (coincidência rs’) Sério, eu queria comprar apenas “Ilha do Tesouro” (li e odiei), mas poderia levar 2 por 25,00.. Então, peguei “A Sombra Interior”.

Bom, trata-se basicamente da Sombra “inconsciente” que vive dentro de cada um de nós, que sempre se projeta para nosso mundo exterior, seja em nossas escolhas, ações e etc. São nossos lados sombrios, lá no fundo da consciência. Não sei muito dar descrições detalhadas sobre esses assuntos (*ainda*) Mas, vou partir logo para o assunto que quero abordar.

Estava “degustando” o livro, quando vi uma passagem interessante que me chamou muito a atenção:

“(Freud disse, certa vez, que as pessoas negavam suas teorias de dia e as sonhavam à noite).”

Então, eu parei e comecei a relembrar alguns sonhos que eu já tive. Antigamente, eu era (ainda sou um pouco, na verdade) muito, muito reservada... Passei a me soltar um pouco mais, só agora, nos últimos anos escolares. E, eu acredito que sempre tive muito medo de perder meus amigos... Apesar de gostar dos meus momentos sozinha, tenho medo de estar excluída socialmente, e não ter ninguém para partilhar momentos, gostos e etc. Certa vez, há muito tempo atrás, tive um sonho. Eu e minha s amigas estávamos sentadas, conversando animadamente. Só por um momento eu saí e, quando voltei... Apenas uma delas estava lá. Como todos os meus sonhos são muito abstratos, achava que realmente não era nada demais... Mas, com o tempo passei a interpretá-lo. Naquela época, eu não tinha muita consciência do meu medo, mas hoje eu o entendo e ‘tento’ combate-lo (é difícil...). O sonho foi como uma manifestação desse meu medo inconsciente da época...

Quando passei por uma situação chata no ano de 2013, também tive muitos “pesadelos”. Uma pessoa muito querida me excluiu da sua vida (hoje estamos bem, obrigada.) Senti-me horrível, alguém descartável. Nos primeiros meses, eu pensava de todas as formas porque ela fez aquilo comigo. Primeiro acreditei que eu era culpada, mas com o tempo percebi (e acertei) que o problema realmente fora com ela. Depois de algum tempo sofrendo, comecei a tentar esquecer aquilo, acreditando que ia aplacar a minha dor. Porém, comecei a ter sonhos onde eu aparecia humilhada por essa pessoa, continuava a ser excluída por ela, enfim... Situações horríveis. Simplesmente era a dor, negada, querendo fugir das minhas entranhas. Assim, como meus sonhos com outra pessoa querida, que morreu há mais de 5 anos.

Sempre negamos nossas muitas coisas, mas elas estão ali, conosco, sempre. Não adianta. Eu tenho certas ideias de que preciso esquecer de tudo, vai passar. Mas, não é bem assim que a banda toca. Estava lendo aqui, que nossas “sombras” não são apenas coisas ruins, podem ser impulsos criativos, por exemplo. (Será, meus poemas? O.o) 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Momento difícil

Difícil perceber o momento em que não vê ninguém pra desabafar. Ninguém parece te compreender muito bem. Ninguém demanda teu tato ou te...