terça-feira, 13 de janeiro de 2015

- Vazio.


na rua, sozinho a caminhar
dentre milhares de rostos - análogos
descem, pingos d'água, 
estremecem
no melancólico asfalto
assim como minha alma
a se exaltar,
sobre pingos - ou respingos?
de solidão.
- dor dos estranhos,
estranhos ao mundo
alheios aos sentimentos comuns.
o mundo parece-me um vazio, fora de mim
ou, eu estou distante de seu vazio? 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Criança liberta

Queria ser criança liberta Criança nascida do verde louro Que grita aos sete ventos E pula de pés descalços  Sobre a terra ...