sábado, 14 de fevereiro de 2015

- Canto dourado.




Sinto a beleza do canto,
Dourado, soar da lua cheia
Agarrado, dialogando, 
Com minha triste solidão
Minhas lágrimas se extirpam,
Ao sentir tuas ondas etéreas.
O canto dourado, também solitário
Invade-me, vibrando em meus nervos
Dá-me sua mágica, branda,
Se escondendo em minha alma
Estranha calma,
Em jubilo, em novo ser.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

meio a meio

Nunca tive cara de nova, muito menos de mais velha, sempre um meio a meio... Ou uma normalidade insossa. Minhas palavras nunca ...