domingo, 22 de fevereiro de 2015

- Embriaguez


Bebi - aos goles, goela abaixo
embriaguei-me, naquele muquifo da esquina
embriaguei-me, em tua palavras
com gosto de uma deliciosa malícia.
tuas mentirinhas dengosas
das tardes calorosas,
de uma tarde de domingo, meu menino.
Ah, como embebedo-me de prazer!
tua voz, escancarada de mistérios,
tem gosto de puro vinho
do mais refinado, aquele gosto apurado
para degustar durante a noite,
nós dois assim, bêbados,
extasiados, em amor,
em tua poesia, assim descrita,
e - meu amor, tão saboreada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Chamam meu nome?

Entendo aquele olhar Chamam meu nome lá fora? Entendo aquele toque Chamam meu nome lá fora? Não há futuro para mim aqui dentro Não...