sexta-feira, 20 de março de 2015

- Guerreiros das chamas



Naqueles estranhos olhos negros 
Fúlgidos, como diamantes em brasas
Encontram-se os infinitos mistérios
- Dos guerreiros que lutam sem suas asas

Os dignos guerreiros da noite
As suas chamas marcadas no peito
Espiam - em segredo - taciturnos nas trevas
Espere o fim, em seu leito
 
As marcas se acendem
Seus passos transcendem os destinos
 Os olhos negros não se esquivam
Pelas terras que guerreiam

São os demônios que ascendem das guerras
Os guerreiros que erguem as espadas
Os deuses que controlam as terras
Os seres que morrem e renascem, das chamas.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Linguagem do corpo

Os olhos voltados pra cima A boca seca Os lábios trêmulos  Os dedos que se fecham Meu corpo denuncia O que a palavra não r...