quinta-feira, 2 de abril de 2015

. queira me ver



você está ali o tempo inteiro, 
minhas lágrimas jamais te alcançarão
estou aqui tão perto, bem ao seu lado, 
à sua frente, bem ao seu encalço
mas teus olhos jamais voltaram-se para dentro
procure-me aí. veja, veja! eu posso estar por aí!
mas você não vê - ou recusa-se a ver?
como acaba comigo! não destrua-me em apatia
entregar-me-ei, abandonar-me-ei às entranhas - se possivel
mas nunca desatarei as linhas - os fios que se unem
ao meu - ao teu
destino.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

desculpe, querida

desculpe, querida se minhas palavras são incontidas se meu toque te abomina se o meu sorriso e o meu corpo não são o suficient...