domingo, 31 de maio de 2015

prosa do dia 31/05/2015.


Dias de greve... Dias de preguiça :P  Enfim, de vez em quando pego nos meus cadernos e livros, faço umas pesquisas... Mas sinto falta daquele "gás" dos dias na universidade. É tão estranho... Enfim, preciso retomar. Entretanto... hoje não vim falar sobre meus dias ociosos de greve. Vim falar sobre um livro maravilhoso que terminei de ler há 2 dois atrás e achei incrivel e com um final... Hm.. Surpreendente!! O nome é "O Pântano das Borboletas", do escritor argentino Federico Axat.
Encontrei esse livrinho na Avon, naqueles dias em que a revista dá "Aloka" e põe alguns livros diferentes no catálogo. Não tinha muita expectativa, pois a informação sobre ele na revista não é muito animadora ( pelo menos para mim), mas acabei comprando; estava louca atrás de algo para "devorar". Um dia depois de chegar, comecei a ler... E se revelou uma experiência deliciosa para mim.. Aqui a sinopse (direto do Skoob):

"Sam e Billy têm 12 anos e moram na pequena Carnival Falls. Amigos inseparáveis, eles percorrem o bosque de bicicleta e preparam-se para terminar a construção da sonhada casa na árvore. Compartilham tudo, inclusive a paixão por Miranda, a menina rica que acaba de se mudar para a cidade. Juntos, os três vivem as descobertas e as transformações típicas da idade e desvendam o mistério que assombra a vida de Sam: o paradeiro de sua mãe. Com esses ingredientes e doses generosas de lirismo, Federico Axat escreveu uma história admirável sobre a delicada passagem da infância para a adolescência e desta para a vida adulta.Mas não só. Romance de crescimento e suspense com incursões pelo fantástico, O pântano das borboletas reserva uma desconcertante reviravolta final: um segredo que, revelado, arremessa o leitor em um torvelinho de emoções e confere à trama um sentido totalmente novo."

O livro é dividido em quatro partes... E algumas delas se passam no futuro (2010). A história já começa com o terrível acidente de Sam e sua mãe Cristina Jackson, em 1974. Logo depois, somos transportados para 1985, quando o menino já tem 12 anos e mora em uma granja junto a varias outras crianças, acolhidas pelos Carroll. Boa parte da história se passa no bosque, onde Sam e Billy conversam e planejam sua casa da árvore. Não posso me alongar muito na história, pois Spoilers nem sempre são bem vindos, mas como já está explicito ali na Sinopse, os dois meninos se apaixonam por Miranda e, os mistérios da família dessa garotinha loirinha e de olhos azuis, aos poucos mostram-se bem relacionados ao sumiço de Cristina Jackson. Sumiço este relacionado até a UFO'S pelo sr. Banks, estudioso de casos extraterrestres. Confesso que quando vi sobre essas passagens no livro fiquei com certa desconfiança e com medo, muito medo de sofrer uma enorme decepção, porém, não aconteceu nada disso (ainda bem!).

Gostei bastante de como a trama se desenrola, a todo momento aparece um novo mistério e você simplesmente não tem vontade alguma de parar de ler o livro! A relação dos três amigos é linda, apesar de que eu achei as crianças muito "evoluídas" para a idade. Pensavam e falavam como adultos, principalmente o Billy, mas tudo bem, nada que tire a magia da história! O autor mostra bastante a questão da puberdade, o primeiro amor, as aventuras da infância. Adorava quando eles iam até o pântano das borboletas (um lugar especial e mágico para eles). Apesar de encontrarmos muitos pontos positivos nessa história, acredito que, como ponto negativo, temos algumas questões que ficaram um pouco mal explicadas, enfim, furos mesmo. Porém, eu deixei de lado todos os furos quando li... O Epílogo!!!! Aquele epílogo, gente... Não sei explicar a sensação de lê-lo! Ele conseguiu mudar toda a minha visão da história... É como se 1 página, mudasse mais de 200!! 
Como esse é o primeiro lançamento do Axat no Brasil, não vou achar outros títulos dele em português... Mas espero ansiosamente para ler outro livro dele! Por enquanto... Vou ler "Perfume", o qual encontrei perdidinho aqui em casa.... Encomendei Will & Will (sim, pela AVOOOON !) porém tenho que esperar chegar :(((


*Nota desinteressante: Encontrei esse deus nórdico por acaso na internet, e já o considero meu ♥ Nome? Bartek Borowiec.





sexta-feira, 29 de maio de 2015

.entre ciclos


entre muitos 'vai-vem'
entre longos dias,
ou, até mesmo, segundos
você vê o mundo 
vislumbra milhares de rostos
e descobre que tudo,
não passam de ciclos
onde - sempre -
estarás
sozinho.



tantas coisas passam aqui  :l 
 as pessoas me deixam louca. por que será que eu quero entendê-las? image

quarta-feira, 27 de maio de 2015

.desilusão



esses dias algo vazio me destrói aqui dentro. como se eu não soubesse para onde ir, o que fazer, como proceder... em tudo. estar por fora, sem nada a fazer, deixa minha mente tão livre, correndo entre nós e pontos, e ela descobre que... realmente, algo falta aqui dentro - para me completar. eu sei, nunca nos contemplamos. o ser humano tem essa coisa de sempre querer mais alguma coisa - que, geralmente, não se sabe o que é. porém, esse 'algo' vazio está mesmo a me destrinchar. penso nos meus caminhos, no meu 'agora', e tudo parece errado ou incerto. parece estranho, fora de mim. meu corpo fica mole, sem vontade, as forças vão me deixando para trás, sem muita piedade. não sei se é a falta do que me agarrar, ou se preciso mesmo de algo para fincar um sentido. eu mesmo não me basto? estive errado este tempo inteiro? o que me falta? eu penso, penso e são tantos nós batidos e.. quase nada me ocorre. o futuro é nada; o presente é um completo estranho e, o passado me ridiculariza.
eu nem sei os propósitos do agora, nem o que sinto de verdade. nem se essas palavras me convém. se as pessoas ao meu redor me percebem... ou, se tudo o que vivo me serve.
acho que sim... acredito que fui muito errado.
e, agora, preciso reparar este erro. só não sei, quando e como.


domingo, 24 de maio de 2015

.luto



Sangre! Deixe Sangrar.
As tuas veias são frágeis demais
E o sangue não estanca de uma vez
Então, Sangre!
Desfaleça em tuas loucuras
Rasgue as tuas ilusões
Sangre... E Morra!
Morra! Morra!
Deixe-se morrer
Estrangule o teu leito
E Morra!
Deixe o pulso da morte pender
Destruindo toda as estâncias daquela...
(estranha) vida.
Somente... Então,
Re-viva.
Levante-se, ande ao encontro da Vida.
Pois a morte proclama o luto
E convida o eterno pulso
Da Vida!


sexta-feira, 22 de maio de 2015

menina do canto...



nunca fui menina que recebe dedicatória
nunca – nunca fui menina de ser entre todos
de estar entre todos
é a menina do canto,
sem palavras – sem caminhada.
na vida acho que nasci para ser só
nasci para viver só – em minha companhia
frustrada? talvez.
pode ser? pode ser minha culpa
aquela que que não flui
aquela que não se estende
aquela ali! aquela ali do canto,
que talvez – não se entende.




olha hj ela falando no feminino... a poesia pediu.


domingo, 17 de maio de 2015

.meu ordinário amor.


sim,hoje eu sonhei com você. e esse sonho parecia tão vívido que meu corpo não se contentou ao acordar. abri as pálpebras, pensei em você. estava tão lindo e radiante em meus sonhos. era mesmo você? ainda não sei o porquê os delírios da noite me levam a alimentar o que sinto. é irreal - platônico. eu te chamei de meu "amor" e você 'corou'; segui você  a todo instante e não me olhou destilando o seu desprezo. e ali naquele traiçoeiro paraíso, eu me desfiz em amores por você! sonhos! não queria acreditar que eram mesmo sonhos! por que me desespera de maneira tão vil? eu me insulto de uma maneira que nem posso mais suportar. senti a primeira gota salgada, atravessando o meu rosto. não me importaria em ser carregado dali. para onde eu pudesse desistir, desapegar - deixar de sonhar. 
impossível.
meus olhos continuavam fechados.
tentei dormir novamente. o sono leve veio e trouxe você novamente.
e, em minha estranha mania de morte, voltei a me enganar (deliciar) nos meus próprios insultos. pedindo a todos os deuses que jamais me desligassem daquele ordinário amor.


~partes desse texto foram mesmo de um sonho meu~ só não direi quais foram kk

sábado, 16 de maio de 2015

.deixe-me ir!




Afaste-se de mim!
Meu coração só pertence ao mundo
Mundano, mundo.
Reivindica mais do que amores
E não foge de dissabores.
Meu coração não quer a fria rotina dos homens
Quer o estranho,
O louco
Aquele clamado: Desatino!
Meu coração quente, de menino,
Não escuta a voz
Do destino!


Tempos de turbulência?
os anjos ensaiam horrores!
e os demônios? proclamam amores!

sexta-feira, 15 de maio de 2015

Prosa do dia - 15/05/2015













E esse friozinho gostoso me inspirou? Hm.. Bom, só para arrumar o meu blog mesmo. Quis refazer o layout, cansei um pouco das cores pesadas. Sabe, um fato (des)interessante sobre mim é que eu amo os extremos das cores. Entre minhas favoritas estão o cinza, azul claro e turquesa, e o bege, cores bem neutras e que trazem muita tranquilidade; mas, também tenho paixão pelo preto, vermelho vinho e violeta, essas evocam algo mais pesado. Por isso, meu blog já passou por diversas transformações, extremas! Não tenho costume de salvar os estilos antigos do blog, porém com certeza, todas essas cores citadas acima já passaram por aqui!  Não sei esse fato tem alguma relação com minha personalidade... deve ter... :D
Bom, encontrei um menu legal no Kawaii World  e coloquei no blog, para organizar melhor algumas coisas. As minhas fics agora estão separadas em uma página exclusiva, arrumei o arquivo do blog e ainda preciso de ideias para o cabeçalho ( estou vazia mesmo! ). Pretendo fazer uma página com minhas imagens yaoi favoritas, porém a preguiça me domina!
Esses dias não tenho feito nada demais por causa da greve da universidade, quer dizer, estou estudando ( hoje mesmo terminei O futuro de uma ilusão de Freud e tenho que estudar sobre Carl Rogers...), porém tudo está muito parado e acredito que minha inspiração para poesias se esvaiu. Talvez uns papéis e canetas me ajudem. 
A noite é o momento mais propício para escrever... O som dessa chuva está tão agradável, maravilhoso para escrever alguns versos... Eu adoro o silêncio... Aqui em casa é sempre tão barulhento e eu quase não consigo me concentrar para produzir qualquer coisa, ou estudar. O silêncio deveria ser lei... Ele é confortante e, às vezes, assustador também (nossos monstros.), mas quando necessitamos dele, aprendemos a nos acostumar. 

Ainda não sei lidar... Já tenho 18 anos! :O
Mudei a ASS a outra estava com sérios probleminhas ...



terça-feira, 12 de maio de 2015

8 ou 18.



8 ou 18. não importa.
hoje, é o dia o qual conheci a luz desse mundo. 
não sei se é algo bom ou ruim,
 não sei se justo ou injusto. 
não se terno, ou eterno.
o tempo vai passando, a vida vai seguindo. 

talvez esse eu de hoje.
não seja o mesmo eu de amanhã.
hoje, completo 18 invernos, talvez, com jeito de 40.
amanhã, talvez, faça 40, com jeitinho de 18.
o tempo de hoje, nunca é o tempo de amanhã.
se, claro, o amanhã existir.

estou aqui, em mais um ano, estirando-me pela vida. 
procurando aquele sentido -
 pérfido sentido, o qual todos - tolos - procuram.

é só mais um ano. 
mais um fardo - ou mais uma alegria?  
talvez, seja só minha agonia.

enfim.
estou aqui, e, enquanto esta mania resistir,
vou insistir, insurgir por essas linhas tortas,
incertas - da vida.



 Parabéns para moon 
image


domingo, 10 de maio de 2015

mãe, não sei muito bem o que te dizer...




 não sei muito bem o que dizer sobre hoje. acordei tarde, como todo dia de domingo e, a primeira coisa que me propus a fazer foi dar uma abraço em minha querida mãe. sabe, eu quase nunca chamo ela de "mãe", é sempre por seu primeiro nome e ela gosta disso. sei que posso não ser a filha perfeita,. dou meus ataques, já lhe chamei de teimosa, às vezes me irrito com a preocupação excessiva. relações de mãe-filho tem essas coisas. mas qualquer coisinha me preocupo; gosto de conversar com ela, ela me conta o que pode contar, eu me disponho a me revelar às vezes; ajudo nos afazeres de casa, sempre que posso e , assim vai. sinto que sempre terei seu apoio, sua companhia. seu porto onde posso chorar e compartilhar meus momentos.
ela me criou com todo o amor que pode, com sua doçura, proteção e, principalmente, compreensão - esse colo, esse calor, onde mais eu poderia encontrar?.   não sei como será meu amanhã; nosso amanhã. mas, de uma coisa eu tenho certeza, eu sempre estarei do lado dela e farei de tudo para que eu possa ser uma filha cada vez melhor, retribuindo todo carinho e proteção que ela sempre esteve aberta a me proporcionar ♥ 

~ quando se trata de mãe, eu não sei muito bem como dissertar sobre o amor que sinto, é difícil, descomunal, profundo demais. ~ 


sexta-feira, 8 de maio de 2015

.silêncio!



e eu queria tanto ter você aqui
ouvir novamente o soar da tua voz
sentir as palavras - mesmo que amargas
a contarem estórias para mim
estórias sobre temores,
caminhadas
lágrimas - secas,
desmoronando tua inocência.
esteve comigo,
durantes nossos anos mais lindos,
desfrutando de todo quase-fraterno amor,
mas você quis ir embora,
aqueles ombros caídos;
os labios contraidos - contidos.
as palavras que você se nega a me dizer.
saiba,
posso esperar, mesmo que
o teu silêncio queira me matar,
estou aqui, por todo o tempo
até você querer - novamente - me aceitar.


_____________

tão preocupada esses dias :( às vezes queria ter super-poderes :(
greve decretada na universidade! sabe-se lá quando voltará :/


quarta-feira, 6 de maio de 2015

.prosa do dia - 06/05/2015


 4 dias = 4 anos! 

Enfim, às vezes para mim é assim... E ainda mais que estou totalmente sem criatividade para post's, não sei muito bem o que fazer. Estou concentrada nos estudos, sem assistir animes, passando ~praticamente~ o dia inteirinho fora de casa, vejo mais meus colegas do que minha própria família. Sabe, essa rotina ainda não pegou muito para mim. Ter que passar 2 ~ 3 horas sentada em uma cadeira, assistindo aulas ( a maioria de slides ) é estranho. É muito estranho. O que salva são os debates na aula e, claro, aqueles assuntos que são legais de estudar ( e alguns professores gente fina também.) Andar todo o campus atrás do módulos, xerox, pegar livros na biblioteca, almoçar e às vezes jantar no restaurante universitário é uma rotina que ( devido a greve do curso ) ainda não consegui acostumar, porém daqui há algum tempo, provavelmente eu estarei tão acostumada a isso que vou sentir falta quando estiver em férias. 
Estou a perceber também, como já falei antes, que o mundo universitário é outra dinâmica. Não sei se boa ou ruim, mas para mim tem sido uma experiência bem legal. A maioria das pessoas que estão ali querem alguma coisa, interessam-se nos assuntos, empenham-se em estudar e participar. Eu gosto disso, às vezes me sentia frustrada na escola justamente porque alguns estavam ali, simplesmente por estar, sem se preocupar em fazer algo de útil. 
Estou adorando as aulas, os assuntos ( menos biologia D: ), é tudo o que eu gosto! É realmente algo que eu possa seguir em frente, sem precisar me sacrificar. Como gosto de escrever, em determinada época pensei em ser escritora, produzir livros mesmo. Mas percebi que não era tanto uma carreira de sonho, mas um hobby. Também, não sei se tenho realmente 'dom' para carreira... Além de que, quando pesquisei sobre a profissão, dizem que ser escritor no Brasil não é tão bom assim... Porém, algum dia posso lançar alguma coisa! Quem sabe? Adoro escrever, mas prefiro manter isso como uma forma de lazer e não de carreira profissional... 

 Bom, esses dias não fiz poesias... Estive com a cabeça na universidade, então... Não pensei em muita coisa. Porém, nesse final de semana, se eu estiver inspirada, postarei algo... Como não tenho nada para dizer, vou colocar um fato desinteressante ( pelo menos não para mim ~.~ ) da semana! haha

 Recebi o meu primeiro comentário na fic, The Golden Rose! Essa semana postei o capítulo 05 e ganhei um elogio bem bacana, e fiquei muito felizinha quando li!

E ela ainda disse que o Freyr é fofo!! Haha, também acho ele a coisa mais fofinha... Apesar de que estou tentando deixar ele um pouco mais desinibido, mais atraente. Personagens assim sempre são mais interessantes, não?! Estou doida para chegar logo em Loki, InshtarHeim e algumas outras partes que eu gosto, a história ainda está na fase inicial...
Ainda não entendi muito bem o sistema de acompanhamentos do Nyah, pois as estatísticas da minha conta dizem que 14 pessoas estão acompanhando, mas na página inicial da história só aparece 1 pessoa... Bom, não sei se é erro do site, mas espero que 14 seres lindos estejam acompanhando mesmo, estou empenhando-me no trabalho de "revisão".
Então, é só isso mesmo  Até mais!! 

  Estou viciada nesses favicons
Ah! Faltam 6 dias para o meu niver !! :O




sábado, 2 de maio de 2015

- olhos de espelho


enquanto caminhava, taciturno
nas ruas escuras deste caminho,
vi muitos rostos, desnudos em mim,
- olhos de espelho.
procurei o desespero,
clamei-me impuro
indigno de ser o (meu ser)
chamei-os de loucos 
- chamei-me de louco 
e me fechei , em desesperança.
sem saber que os enxames da minha alma,
se desfaziam
 em desamor por mim mesmo.
quis matar-me
sofri em silêncio
mas discuti aqui dentro
os meus incontáveis segredos,
escondidos lá no fundo,
amados e desimpedidos
de qualquer reflexo,
de outro moribundo. 

____________



As aulas voltaram, porém há ameaças de uma greve na universidade....
Não sei como vai ficar a situação, só sei que não vou me formar mais em 2020 :(

lua Adversa; Cecília Meireles



"Tenho fases, como a lua. 
Fases de andar escondida, 
fases de vir para a rua... 
Perdição da minha vida! 
Perdição da vida minha! 
Tenho fases de ser tua, 
tenho outras de ser sozinha.

Fases que vão e vêm, 
no secreto calendário 
que um astrólogo arbitrário 
inventou para meu uso.

E roda a melancolia 
seu interminável fuso!

Não me encontro com ninguém 
(tenho fases como a lua...) 
No dia de alguém ser meu 
não é dia de eu ser sua... 
E, quando chega esse dia, 
o outro desapareceu..."

 Cecília Meireles

** Não preciso dizer nada!! :D


estranho vermelho

há um toque de intenso vermelho que consome a minha pele o vermelho das tuas unhas a cor rubra que pinta os teus lábios...