sexta-feira, 22 de maio de 2015

menina do canto...



nunca fui menina que recebe dedicatória
nunca – nunca fui menina de ser entre todos
de estar entre todos
é a menina do canto,
sem palavras – sem caminhada.
na vida acho que nasci para ser só
nasci para viver só – em minha companhia
frustrada? talvez.
pode ser? pode ser minha culpa
aquela que que não flui
aquela que não se estende
aquela ali! aquela ali do canto,
que talvez – não se entende.




olha hj ela falando no feminino... a poesia pediu.


2 comentários:

Chamam meu nome?

Entendo aquele olhar Chamam meu nome lá fora? Entendo aquele toque Chamam meu nome lá fora? Não há futuro para mim aqui dentro Não...