domingo, 17 de maio de 2015

.meu ordinário amor.


sim,hoje eu sonhei com você. e esse sonho parecia tão vívido que meu corpo não se contentou ao acordar. abri as pálpebras, pensei em você. estava tão lindo e radiante em meus sonhos. era mesmo você? ainda não sei o porquê os delírios da noite me levam a alimentar o que sinto. é irreal - platônico. eu te chamei de meu "amor" e você 'corou'; segui você  a todo instante e não me olhou destilando o seu desprezo. e ali naquele traiçoeiro paraíso, eu me desfiz em amores por você! sonhos! não queria acreditar que eram mesmo sonhos! por que me desespera de maneira tão vil? eu me insulto de uma maneira que nem posso mais suportar. senti a primeira gota salgada, atravessando o meu rosto. não me importaria em ser carregado dali. para onde eu pudesse desistir, desapegar - deixar de sonhar. 
impossível.
meus olhos continuavam fechados.
tentei dormir novamente. o sono leve veio e trouxe você novamente.
e, em minha estranha mania de morte, voltei a me enganar (deliciar) nos meus próprios insultos. pedindo a todos os deuses que jamais me desligassem daquele ordinário amor.


~partes desse texto foram mesmo de um sonho meu~ só não direi quais foram kk

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Momento difícil

Difícil perceber o momento em que não vê ninguém pra desabafar. Ninguém parece te compreender muito bem. Ninguém demanda teu tato ou te...