terça-feira, 9 de junho de 2015

.onde ela está?



estou digitando essas palavras enquanto seguro algumas lágrimas em meus olhos. 
lágrimas essas que eu nem sei de onde vêm. mas eu sei muito bem porque eu tanto seguro aqui dentro. sei, não é saudável, nem um pouco bonito fazer isso.... porém nem sempre aquilo que nós fazemos, condizem com o que sentimos, e tudo mundo algum dia já fez/faz isso. às vezes eu só acho que é alguma invenção da minha mente, ou - como já disse antes - que tudo realmente está errado, ou incompleto. são só 18 anos, 18 anos vividos. e eu sempre me pergunto o que é tudo isso. porque sou tudo isso. porque vivo tudo isso. ou, como lidar, ser, viver. porque jogo tantas palavras para os ventos e continuo a viver como se fosse tudo insignificante, talvez seja. eu vejo as pessoas falarem sobre coisas que eu não entendo, que eu não consigo me acostumar... eu convivo entre círculos os quais eu não sei se vou conseguir prosseguir. só penso que não sou capaz, mas na verdade eu sou, eu posso ser, mas... como? eu penso às vezes que eu mesmo crio um escudo contra tudo... e... me escondo nele. sim, o problema pode estar todo comigo.. ou não.. talvez... quem sabe? e são tanto sorrisos... tantas conversas, tantas páginas roladas, fotos... porque será que eu não consigo me integrar a isso? será que... não é realmente o meu mundo? 
eu estou em um emaranhado de pensamentos... e eles não se concentram... nem se conectam... 
onde está aquela menina madura agora?




"menina", estou em mim novamente. e, agora, sempre procurando respostas.

2 comentários:

desculpe, querida

desculpe, querida se minhas palavras são incontidas se meu toque te abomina se o meu sorriso e o meu corpo não são o suficient...