segunda-feira, 27 de julho de 2015

amor. quem sabe?



Eu já me descasquei de tantas palavras de amor
Amores esses que nunca vivi
Mas sempre sonhei em ter só para mim
Queria deixar de pensar em paixonites que me iludem
Menina que sou ainda,
Desejo ser mulher feita - ou talvez eu seja?
Pego uma taça de vinho
Deito-me no chão frio da minha varanda e pereço:
O som do tic-tac vem da sala; uma hora { quem sabe? }
ele apareça e me enlouqueça?
Nada como deixar que o tempo te abrace
e deixe fluir sem muita pressa....


4 comentários:

Opacidade

Sempre estive entre as luzes, Procurando por mistérios E contendas que nunca foram minhas Os corredores, Antes iluminados p...