domingo, 9 de agosto de 2015

A menina e o presente.





E hoje, então, veio o dia
Mas tua indiferença
Não me deixa mais perto
Esfriei-me tanto,
Que hoje queimo, de dentro para fora
E, depois,
De tão perto...
Desconheço-te.
Hoje eu não chorei
Nem ao menos te olhei 
Porém, tuas palavras me soaram mudas
Ensossas
Jogue-as fora, é mais bonito.
Vou-me embora,
Não sou herdeira do teu eterno amor
Nem no teu sorriso, pude me deleitar
Porém, deixo-te um presente
Abra-o sem medo
Assim que desatar o laço de fita vermelha
verás que, quando eu for,
levo nada mais do que eu mesma.


** indiferente
** desconhecido



2 comentários:

meio a meio

Nunca tive cara de nova, muito menos de mais velha, sempre um meio a meio... Ou uma normalidade insossa. Minhas palavras nunca ...