domingo, 30 de agosto de 2015

Fernando Pessoa: autopsicografia




O poeta é um fingidor.
Finge tão completamente
Que chega a fingir que é dor
A dor que deveras sente.


E os que lêem o que escreve,
Na dor lida sentem bem,
Não as duas que ele teve,
Mas só a que eles não têm.


E assim nas calhas da roda
Gira, a entreter a razão,
Esse comboio de corda
Que se chama o coração.




Fernando Pessoa






6 comentários:

  1. De poemas assim não há o que dizer, exceto gratidão por de novo o poder ler.
    GK

    ResponderExcluir
  2. Golden, tudo bem? ^^"
    Eu gosto abeça de Fernando Pessoa... Estou procurando um livro dele em forma de peça teatral, mas não sei o título. Acaso você conhece?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Mel! Estou bem.. Na correria, mas tudo bem rsrs E você?
      Também gosto bastante dele, nunca li este livro, mas pesquisei um pouco na internet e o nome parece ser "O Marinheiro"....

      Bj! Saudades dos contos ;)

      Excluir
  3. Fernando Pessoa sempre arrancando suspiros! :)

    ^^

    http://joandersonoliveira.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza!!

      Obrigada pela visita, vou passar em seu blog! :)

      Excluir

poesia e prosa para esvair

O toque O cheiro, a sensação Os nervos que se estressam Os sentimentos que sobem à minha cabeça É sempre igual Seja ...