sábado, 15 de agosto de 2015

.rotina



hoje ele voltou à rotina
o sorriso a arder em seus lábios
o corpo pede "vá, se jogue, há aquele tudo lá fora
escute, escute o que têm a te dizer"
e ele foi, de ouvidos abertos,
ainda a sorrir, mas a cada passo,
menos confiante
sentou-se: ouviu, ouviu
gargalhou, divertiu-se
(era incrível ver o outro)
até que, seu mundinho não mais se apegou
e o sorriso, desfez-se como pequena chama
após o sopro.
aqueles imensos mundos de sorrisos feitos,
chocavam, incomodam!
gritava - por todos os deuses -
tirem-me daqui!
pediu para ir embora e foi,
ah! era alívio.
partiu à rua, na cidade brilhante,
turbulenta,
a noite... não parecia mais tão harmônica.
na cama, abraçou seu próprio corpo,
os mundos lá fora,
não assemelham-se ao seu,
quer esconder, disse:
"não vou mais voltar, não é meu lugar."
dormiu, e o peso do sono, não lhe permitiu
lembrar dos sonhos.
amanhã era só mais um dia,
agora, um sorriso amarelo jogado ao rosto
de peito aberto, ele sangra
chora
vendo nos olhos de algum outro
o mesmo sangue
que derrama.
 

6 comentários:

  1. Se rota, a rotina é a rota que em gotas declina a derrota.
    GK

    ResponderExcluir
  2. Olá, gostei do seu blog!
    Tenho um onde coloco algumas poesias minhas.
    Poderia dar uma olhada?
    http://wordsbyalonelyguy.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Douglas, como vai?
      Farei uma visita sim... Agradeço a sua presença!
      Abraços :*

      Excluir
    2. Estou seguindo o seu também.
      E vou colocar o link do seu blog em "Blogs recomendados", pode ser?
      Agradeço pela visita ;*

      Excluir
    3. Claro! Coloquei o seu na minha lista (há tempos tinha que fazer esta lista... srrs)
      Seja Bem-vindo!
      :*

      Excluir

meio a meio

Nunca tive cara de nova, muito menos de mais velha, sempre um meio a meio... Ou uma normalidade insossa. Minhas palavras nunca ...