domingo, 11 de outubro de 2015

.azul



Quando pequena
O azul me repugnava
disseram-me:
"é cor de menino"
"é cor de menino"
E eu chorava -  mal sabia!
Que era uma cor de tanta calma
Mas, para mim, menina não usava.
Aprendi a olhar o céu pela manhã
A lua, branca, ainda sem se por
E ver esta tímida cor
Fria, calma...
Chama-me para o dia!
Hoje o céu estava sem nuvens
E em um infinito azul-celeste, eu me perdi
Perdoem-me...
Não queria mais sair dali.
Azul tem a alma mais fria,
Transborda minha calma..
A minha melancolia...

2 comentários:

poesia e prosa para esvair

O toque O cheiro, a sensação Os nervos que se estressam Os sentimentos que sobem à minha cabeça É sempre igual Seja ...