sábado, 3 de outubro de 2015

vozes.




Já passa das vinte duas horas
E já não conto quantas vezes pensei partir
O bloco treme me minhas mãos
O som da noite - as ruas não me assustam mais
Há algumas vozes aqui dentro.
Não, elas não gritam 
São silenciosas.
Como mar calmo.
De tão mansas, afrontam-me
Arrastam-me por essas ondas
Só elas me veem partir


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Linguagem do corpo

Os olhos voltados pra cima A boca seca Os lábios trêmulos  Os dedos que se fecham Meu corpo denuncia O que a palavra não r...