sábado, 26 de dezembro de 2015

gato acuado.


Sou como gato acuado
Meu terreno é um forte
Meus olhos estão para baixo,
Assim como as orelhas...

Eu me afasto

Encosto em um canto,
Deixo de existir ali mesmo
Ninguém me vê, nem sequer me ouve
Quero esconder-me, sempre - sempre

Eles vêm, devoram tudo
Latem de tudo
Tentam saber de tudo em mim

E eu continuo aqui
Escondido
Amuado
De olhos e orelhas
Sempre...
Para baixo.
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

poesia e prosa para esvair

O toque O cheiro, a sensação Os nervos que se estressam Os sentimentos que sobem à minha cabeça É sempre igual Seja ...