quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

.luzes



Não existe mais luz confortadora no fim
As luzes são fortes demais
Meus olhos lacrimejam 
Queria fechar-me por inteiro
Caminhar a passos tortos
Na escuridão que não mais me incomoda
Prometo! Meu corpo não tomba,
nem clama por ajuda.
Nem vai abrir-se aos raios
que cegam meus olhos; Eu espero!
Por muito pouco - eu não me desesperei
Resolvi regredir um tanto,
Voltar para mim mesmo
E, então, as cores podem estar mais amenas.




Nenhum comentário:

Postar um comentário

meio a meio

Nunca tive cara de nova, muito menos de mais velha, sempre um meio a meio... Ou uma normalidade insossa. Minhas palavras nunca ...