domingo, 3 de janeiro de 2016

.sã



As cores, explosões coloridas por todos os cantos
Cobriam cada ponto escuro da noite
E iluminavam os céus de dezembro
Teus gritos ecoaram
Longe
Sumiram entre os ventos
Ensurdeceram-se naqueles abraços que recebi
Nas vozes que me chamaram
Frente ao perigo
E as luzes da noite! Deveriam ser tristes?
Não! Respondo-te: nunca mais
Meu choro cresceu o amor
Ademais, meu choro sempre
teve um aspecto salgado,
Que nunca me fora ruim:
longe disso, adoça em meu rosto
Tua voz! Por mais imperativa,
Por mais rouca que seja!
Essa - não ouço nunca mais



Nenhum comentário:

Postar um comentário

meio a meio

Nunca tive cara de nova, muito menos de mais velha, sempre um meio a meio... Ou uma normalidade insossa. Minhas palavras nunca ...