segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

Sinfonia das Flores



O vento sopra ao sul
E a forte ventania,
Morna, de primavera
Beija gentilmente o jardim.

Azuis e vermelhas
Rosas e violetas.
O aroma toma os ventos
E estes ganham cheiros
Misturados, tornam-se o perfume dos céus
E as pétalas colorem o terno azul-celeste

As flores dançam
Em uma malemolência discreta
Estão afincas ao chão
Tão belas
Seduzindo-nos com suas cores e cheiros

A aura do ambiente
Domina e cura o espirito humano
Os ventos, abençoados por tamanha beleza
Transportam-se para além destes vales

E todo olhar
Toda vida
Podem, assim,
Se curar.


2 comentários:

O estranho

Todas as noites Uma névoa de letras E palavras soltas Entre nós e caminhos Feitos e desfeitos Debatem entre si E nesta pe...