terça-feira, 9 de fevereiro de 2016

Bonança




Os céus sempre te adivinham
Em profunda melancolia,
O cinza domina o horizonte
E, quem sabe, amanhã,
O azul-celeste volte a esses campos?
Hoje à noite tudo parecia tão calmo
E nada me sufocou por dentro
Os dias virão, e estaremos prontos.
Sei que os dias cinzas podem ser bonitos
Assim como o sol arde em meu rosto.
Mas a calmaria das nuvens
Em suas formas tão distintas
Dão mais sossego a essa alma.
Sem muito sol, sem muita chuva
Apenas a brisa fresca, 
E o cheiro de café na varanda...
A rede, a face exposta. 
O molejo, aquele bocejo da manhã....
Quanta coisa mansa!


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Chamam meu nome?

Entendo aquele olhar Chamam meu nome lá fora? Entendo aquele toque Chamam meu nome lá fora? Não há futuro para mim aqui dentro Não...