sábado, 6 de fevereiro de 2016

Memórias de um suposto protagonista



Não sou um intenso viajante
Mas dos lugares que conheço
Tenho memórias constantes.
Conversei com mocinhos
Enjoei bocados deles
Conheci vilões
Senti inveja destes.
Andei rápido
Muito rápido
Que nem me lembro mais de seus rostos
Ouvi vitórias de grandes heróis
Vi historias apagadas
Destruídas, como fitas de filmes antigos ao fogo
Sempre ao lado
Sempre os olhos e ouvidos atentos
Todos os sentidos, na verdade.
Sou protagonista? Talvez.
Minhas memórias não são tão escassas, como pensei,
Ouço as antigas cantigas
E aquele violão me trouxe boas ondas
Agora me deito
E evoco-as todas neste momento.
Memórias
Algumas mais distantes
Outras mais cálidas
Minha vida segue e,
E em um fluxo intenso
Em cada rua
Em cada rosto
Em mim, um pedacinho se mantém
A fita está rodando
 E as cenas sempre se aproximam mais do fim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Opacidade

Sempre estive entre as luzes, Procurando por mistérios E contendas que nunca foram minhas Os corredores, Antes iluminados p...