domingo, 27 de março de 2016

Um pouco sobre ela..



Por que eu deveria falar sobre ela?
Ela não demonstra amar quase nada
Ainda não aprendeu desejar a si mesma
Gosta de poucos gestos
E tenta mostrar outros valores, que não os seus.
Mas, ela está em todos os elementos da minha carne, 
E nada mais pode me tirar dessa agonia:
Ela esconde seus amores!
Não grita por suas dores!
Ela quer ser forte - talvez seja
Condena-se pelas chances perdidas
Mostra um certo orgulho,
Já chorou pelos outros - tanto tentaram machucá-la!

Mas, eu sei:
Ela só deseja encontrar na união de suas poucas palavras
e Ser somente dela, sem mais os gestos de alguém!

quarta-feira, 23 de março de 2016

Despida

Jun Kumaori


Agora, fecho-me, de braços apertados
O ar vivo que me mantém de pé
Os cheiros já agarrados em meu corpo
Todas estes mínimos detalhes
Já não me incomodam mais.
Transpiro estes mesmos ares de sempre
Renovo-os
Remontando meus poros
Esta pele que os ventos já tanto acariciaram
Despida de temores
E sentimento vis.


terça-feira, 22 de março de 2016

Poeta



No entoar dos teus próprios versos
Apaixona-se sozinho
Nesta noite fresca de inicio do outono
As luzes pequeninas das estrelas
Acompanham tua voz suave de manso menino
Logo este teu coração
Acostumado a ser tão sozinho..
Sorri, mesmo que para si
Abraçado aos versos soltos...

Este mundo pertence aos poetas
Saibas disso:
Nós os criamos, nestas pequenas estrofes
E eles, ingratos,
Rejeitam-nos.
Mal sabem que negam suas próprias belezas
Cantadas nestes lábios de sonhador.


segunda-feira, 21 de março de 2016

Remédios..






Certos momentos eu sei que tenho de fugir. Eu me pego pensando em coisas tão confortadoras... E às vezes me culpo por gastar esse tempo, com algo considerado inútil. 
Não posso me culpar.
Não é inútil para mim. Tanto sei disso...
Eu fujo para este lugar...  Amado e tão bonito.
Fujo em minha própria mente, dotada de um poder infinito. 
Viajo através musica.. Na poesia e prosa dos outros.
Parece covarde, eu sei. Mas eu, realmente, ainda não aprendi a lidar completamente com esse mundo. São tantas questões e minha fantasia e divagações me mantém aqui.
 Sei que não estou sozinha nesses sonhos. 
Considerem perda de tempo. 
Eu que sei o meu melhor remédio.


Nota.



Eu e meu canto
Eu e o silêncio
Eu e estes espaços vazios.
Eu e meus sonhos
Completamo-nos
Em fuga


sábado, 12 de março de 2016

A menina e as palavras.



São tantas palavras bonitas que já ouvi
Dizem tantas coisas que já quis para mim
Mas hoje, meus ouvidos se refinam
E meus desejos,
Procuram saber por onde ir.
Essas tuas palavras sobre dons
Por favor! Não impressionam mais.
Enraivecem-me, enquanto eu subjugo este sentir
Trazem-me lágrimas: que nada podem fazer contra ti
Eu simplesmente rogo
Rogo a não sei mais quem
Para não mais considerar estas palavras
Não mais sofrer quando escuto esse teu orgulho fingido
E esquecer que, algum dia,
Mesmo que remoto
Mesmo que bonito
Eu fui tua criança...
A menininha de dons tão inatos
Agora, desgarrada de tuas ilusões.



sexta-feira, 11 de março de 2016

Fadiga



Amanhece
E meu corpo não se levanta
Espero o dia passar, 
Cheio de pressa
Mas os minutos brigam
Com a minha paciência
Pareço não estar aqui
Pareço não estar ali
Nem mesmo em meu corpo
Vejo pilhas de papel para todos os lados
E meus olhos se fecham
Não estou cansado
Muito pelo contrario,
Estou mais vivo do que nunca.



Violetas




E uma flor em tons de violeta se reparte no fim
As pétalas caem ao chão
Trocam-se as cores – mudam-se os fins
E a mais bonita personagem surge neste seio
Cheia de cores desarmônicas.

sábado, 5 de março de 2016

Natureza em sintonia

Desde que eu comecei a frequentar a universidade, passei a olhar mais para o céu no período da manhã e o crepúsculo... Nunca tinha prestado muita atenção aos diversos tons e mesclados que o céu diurno pode ter. Sempre admirei muito a noite, tenho fascínio pela beleza da lua e o aglomerado de estrelas... Mas, agora, consigo me fascinar pela beleza da esfera celeste em qualquer horário.





Às vezes, na correria pelos módulos, paro e observo as nuvens branquinhas combinadas aos tons de azul. Aprendi a fazer isso quando estou em casa também. Até mesmo os dias nublados, considerados "feios", pra mim possuem uma maravilha melancólica a qual me identifico. Percebi que é preciso parar e contemplar tudo isso. É uma honra vivermos cercado de tanta beleza e, infelizmente, poucos dão atenção à ela.
Também pelas minhas andanças na instituição de ensino, aprecio muito as árvores e flores. Agora, em época de chuvas na minha cidade, todo ambiente do campus fica cheio de verde e cheirinho de terra molhada. Lá temos arvores de várias espécies e cada cada canto é uma beleza diferente. Só tenho uma fto da universidade tirada por mim..

As outras que exponho na postagem foram tiradas no quintal da minha casa. Tenho que ajeitar os ângulos para não sair nenhum fio elétrico nas imagens, mas algumas vezes não dá certo... 

Não tenho muita sensibilidade para fotos... Mas quando olho para elas, sinto tanta calma... É isso que a natureza tem de melhor, não é?


quinta-feira, 3 de março de 2016

Música



Ouço melodias destoantes em todos os cantos
Cantigas de escárnios
Melodias alegres,
Sons em melancolia.
Seduzem meus ouvidos apurados
E eu passeio por todas as ruas...
Sorvendo cada nota
Buscando compreender toda melodia
Todas tão bonitas, mesmo que,
Muitas estejam pinceladas de dor.
Quero beber de toda vibração que me toma
Atravessam-me, sem timidez.
Deixem, peço-lhes, descobrir cada feitio
Não me incomodo em ouvir cada nota
Estudar toda melodia...
Saber, de cor, qualquer tipo de cantiga
Posso não ser o melhor ouvinte deste mundo...
Mas, prometo, guardo tudo comigo
E levo para além do meu corpo.

Além da minha alma.


Momento difícil

Difícil perceber o momento em que não vê ninguém pra desabafar. Ninguém parece te compreender muito bem. Ninguém demanda teu tato ou te...