sábado, 12 de março de 2016

A menina e as palavras.



São tantas palavras bonitas que já ouvi
Dizem tantas coisas que já quis para mim
Mas hoje, meus ouvidos se refinam
E meus desejos,
Procuram saber por onde ir.
Essas tuas palavras sobre dons
Por favor! Não impressionam mais.
Enraivecem-me, enquanto eu subjugo este sentir
Trazem-me lágrimas: que nada podem fazer contra ti
Eu simplesmente rogo
Rogo a não sei mais quem
Para não mais considerar estas palavras
Não mais sofrer quando escuto esse teu orgulho fingido
E esquecer que, algum dia,
Mesmo que remoto
Mesmo que bonito
Eu fui tua criança...
A menininha de dons tão inatos
Agora, desgarrada de tuas ilusões.



2 comentários:

Opacidade

Sempre estive entre as luzes, Procurando por mistérios E contendas que nunca foram minhas Os corredores, Antes iluminados p...