quarta-feira, 23 de março de 2016

Despida

Jun Kumaori


Agora, fecho-me, de braços apertados
O ar vivo que me mantém de pé
Os cheiros já agarrados em meu corpo
Todas estes mínimos detalhes
Já não me incomodam mais.
Transpiro estes mesmos ares de sempre
Renovo-os
Remontando meus poros
Esta pele que os ventos já tanto acariciaram
Despida de temores
E sentimento vis.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

poesia e prosa para esvair

O toque O cheiro, a sensação Os nervos que se estressam Os sentimentos que sobem à minha cabeça É sempre igual Seja ...