sábado, 2 de abril de 2016

Ser Errante



Minhas energias de esvaem em instantes
A minha boca seca, sem mais palavras para se encher
Os olhos cansados, abatidos por esses corpos
que parecem incomuns a mim, mas
Eu me misturo aos seus sentimentos
E, em choques, me identifico em cada um deles
Mas, sabe aquela hora que a bateria acaba?
O corpo desaba
Preciso apenas de mim
Eles não compreendem?! Céus!
O que há de tão errante ser assim?


Nenhum comentário:

Postar um comentário

estranho vermelho

há um toque de intenso vermelho que consome a minha pele o vermelho das tuas unhas a cor rubra que pinta os teus lábios...