segunda-feira, 30 de maio de 2016

Novos rostos, descobertas...



Hoje eu vi rostos bonitos a sorrir
Hoje eu me descubro mais do que ontem
Nestes sorrisos, nesta noite fria
De lua crescente.
Aqui estou eu,
Como homem abandonado ao relento
Estou cada vez mais desnudo
Seja nos risos, nas palavras ditas;
Páginas soltas
Nas minhas caminhadas,
 Entre todos estes seres alegres...
Descubro-me cada vez mais, 
Desço entre as ruas, perco-me entre as vielas escuras
Os risos estão tão longe
Vejo novos rostos, os olhos voltados para baixo
E continuo a me encontrar
Mas permaneço... Calado.
E eu... 
Assim, indiferente.
Não sei ainda como tanto escrevo
O que tanto escrevo?
Tudo vem...
Assim que eu me sento
As folhas tão brancas
Estou defronte a um grande espelho 
Amanhã será o mesmo que hoje
"... Descubro-me mais do que ontem."
Serão novos rostos
As mesmas ruelas,
Tantas descobertas...


Nenhum comentário:

Postar um comentário

O estranho

Todas as noites Uma névoa de letras E palavras soltas Entre nós e caminhos Feitos e desfeitos Debatem entre si E nesta pe...