quarta-feira, 27 de julho de 2016

O santo e o demônio.



Quem pensa que és?
Para ditar regras para mim,
E não para você?
E estabelecer o limiar
Do certo
E do errado?
Dizer-se ser poço da humildade
E jogar aos sete ventos tua santa caridade.
Quem pensa que és!?
Para julgar
Punir
E descrever lei
Pensar ser o rei
E o santo daqui e de lá?
Eu sei, os deuses se orgulhariam de ti
E todos os reinos serão inspirados  à tua glória.
Somos tão pequenos...
Os pobres e pequenos letristas sobre os teus pés.
O que são estas pequenas palavras?
Pequenas palavras são apenas enganos
Calunias
Devo esconder-me?
Devo exaltar-te?
Quem dirá o que é bom para mim?
Todo o teu povo é são de mente
E eu sei, os demônios somos nós, caluniadores
Que tentamos espalhar nossas maldades, 
Com um belo sorriso no rosto,
E venenos e garras em nossas palavras.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

desculpe, querida

desculpe, querida se minhas palavras são incontidas se meu toque te abomina se o meu sorriso e o meu corpo não são o suficient...