quarta-feira, 26 de outubro de 2016

Minha natureza me chama.




Estou imerso em palavras desenfreadas
Como águas que rebentam e inundam as margens verdes
Preso entre as rochas, esperando a mão divina
E eu rezo para que ela me puxe
E me esqueça entre as nuvens
Preso entre as rochas,
As minhas lágrimas se misturam à violência das águas
Misturam-se à imensa e divina natureza
A este lugar estas lágimas pertencem
A chuva rebenta sobre o meu corpo
Tenso, encharcado
Rogo a todas as minhas forças:
- Leve-me! Ou eu descansarei aqui.
A minha própria natureza me chama
As rochas não mais me prendem
Aquelas águas violentas só tentam me amansar
Esqueço da mão divina
Esqueço o encanto das nuvens
A minha própria natureza clama o meu nome...
A minha sina.
E então sou carregado pelas águas
Agora, já mansas.

-G.MOON

Nenhum comentário:

Postar um comentário

PERDÃO

Eu deveria pedir perdão A mim mesma. Pelas histórias inventadas Os sentimentos perdidos E as palavras mal explicadas Eu deveria p...