sexta-feira, 18 de novembro de 2016

Desafetos



Mesmo que eu tivesse todo amor do mundo
Mesmo que teus sentimentos fossem os mais doces
Mesmo que teu sorriso fosse deveras cativante
Nada deteria esta minha vontade de te ver sobre estes pés
E que o universo devolvesse a ti
Todas as fissuras que me provocaste
Estes teus olhos fulgurosos nada mais são do que
Uma rasura que desgraça o meu destino
E a tua voz tão carregada de trejeitos 
E os gestos cheios de sutilezas
Não deixam mais meu corpo derramado neste leito
Esperando a claridade do renascer.


Mesmo que eu soubesse todos os cânticos para te amar
Mesmo que eu soubesse todos os feitiços de amor
Mesmo que meus pensamentos se resumissem a ti
Nada deteria este instinto de te provocar
Roubar tua alma e enclausurá-la em nós de ferro
Esperando o teu implorar
Ainda que eu não chorasse, saberia o quanto estaria errada
Condenada por mim mesma
Condenada por ti
Pela minha natureza que te ama
E te extirpa: de desafeto a desafeto.

-G.MOON

2 comentários:

desculpe, querida

desculpe, querida se minhas palavras são incontidas se meu toque te abomina se o meu sorriso e o meu corpo não são o suficient...