quarta-feira, 29 de março de 2017

Entre a porta e o céu




Há uma porta aberta
Há uma grade entre a porta e o céu
as fechaduras se misturam, escondem-se na madeira firme
os cadeados se reúnem entre as barras
As vozes lá foram se estendem pelo horizonte
Cheio de um azul que parece tão confortador
as luzes mudam com o tempo
e a visão daqui de dentro é sempre fantasia
as vozes, elas mudam o tempo inteiro
Mas a grade - esta parece de ferro
as fechaduras: tensiono-as 
tentando abri-las pouco a pouco,
a pressa continua a me sussurrar,
mas eu emprego com calma 
quando? quando poderei terminar?
estou me encobrindo de folhas em branco
e papeis reciclados
atrás destas grades de ferro
cadeados sem muita serventia
estão abertos? talvez? 
onde estão as chaves? pergunto.

nada está tão longe de mim

-G.MOON

2 comentários:

desculpe, querida

desculpe, querida se minhas palavras são incontidas se meu toque te abomina se o meu sorriso e o meu corpo não são o suficient...