segunda-feira, 8 de maio de 2017

(In)satisfação



Dizem que sempre buscamos nos completar
 Somos seres de faltas
 Dos quereres
 Das incompletudes
 Das buscas


 Nessa minha (breve) mas cansativa caminhada
 Cada dia mais me parece que
 Não há objeto
 Nem Ser capaz de me levar à plenitude


 Sou feita do não ter
 Da representação inacabada
 Do discurso que nunca se completa


 Todas as minhas escolhas levam a novos quereres
 E esta angustia perdura...
 Insiste
 Persiste
 Até o pêndulo da vida parar
 E cair a plenitude do ser.


- G.MOON 

2 comentários:

Chamam meu nome?

Entendo aquele olhar Chamam meu nome lá fora? Entendo aquele toque Chamam meu nome lá fora? Não há futuro para mim aqui dentro Não...