sábado, 27 de maio de 2017

Opacidade




Sempre estive entre as luzes,
Procurando por mistérios
E contendas que nunca foram minhas
Os corredores,
Antes iluminados por raios de luzes brancas
Hoje sobram apenas as frestas
Os mínimos filetes
Que me permitem saber das tuas passagens
Sem muita nitidez
Em pontos turvos, incertos
E muito afinco... Angústia.
Nunca pensei que um dia
Pudesse dizer:
Não há nada mais aqui
Não há mais passo dado, nem expectativa
Amor ou sequer ódio
Há apenas o opaco
O indiferente
O sem vigor
O meu caminho é difícil demais?
A minha estrada parece tão cheia de obstáculos, assim?
Parece, para você?
Eu juro tentar, juro que tentei te ajudar
Mas teu ardor nunca se integrou a mim
Os sorrisos e a doçura (fingida, talvez?) nunca foram para mim
Estarão sempre do lado de lá
Onde não estou
E nunca estarei
Trato de andar pelos mesmos corredores
Sozinha
Estranhando-te em demasia
Mas eu juro que quando a caminhada terminar
Essa tua memória sempre vai permanecer

Por mais que eu lute para me libertar


G.MOON

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Criança liberta

Queria ser criança liberta Criança nascida do verde louro Que grita aos sete ventos E pula de pés descalços  Sobre a terra ...