segunda-feira, 10 de julho de 2017

Desejo e solidão


Em tudo há meu desejo de solidão
Em cada passo meu, o rosto se contorce
E a pele se aquece
Gritando-lhe: Solidão
Quem sabe eu te peça uma palavra?
Quem sabe? Aproxime em um abraço?
Mas o meu corpo
A minha voz e todo meu canto
Vive na solidão
Solitude
Solitário canteiro
A palavra dita em um único sossego
A sombra de um pé de laranjeira
O pôr do sol e o alaranjado das nuvens 
A luz incide
E meu corpo é somente solidão
As palavras também parecem surgirem por si mesmas
Tatuam-se no tempo
Cobrando meu destino
Cantam e contam 
A solidão.
Quem sabe um dia uma alma sozinha
Encontre em um abraço algo que a comporte
Algo que afague, mas não afaste
O canto deste corpo
Encantado em solidão.

G.MOON

2 comentários:

  1. A solidão nos é inerente. Ou se a aceita, ou se para si mente.
    GK

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza, Gugu. A aceitação é a melhor saída.

      Excluir

Just another day...

Oh, eu aceitaria umas duas ou três Ou outras maneiras de viver Mas hoje eu não vou ser tão dura comigo mesma Eu vou caminhar so...