domingo, 3 de setembro de 2017

Prosa do dia 03/09/2017



Certa vez eu disse por aqui que temos de enfrentar o que odiamos. Em alguns momentos nos precisamos ser fortes e saber o que dizer, o que fazer e não deixar a preocupação e o medo nos dominar. Eu construí esse lema pra mim e tenho tentado, mesmo que o pior ainda não esteja aqui, a manter-lo vivo em minha mente e tentar seguir como acho que deve ser.
Porém, certos momentos, na loucura da rotina, eu paro e uma vontade de chorar me domina de uma forma que não sei explicar. Olhar um ponto fixo, parar de pensar e sentir o choro sobrevir... O aperto no peito é mais do que real. Engraçado que, enquanto o choro vem, todos os pensamentos e problemas se destacam em minha mente e eu sinto que aqui não é meu lugar... Eu sinto.. Eu sei que algumas coisas precisam mudar.
Faz mal conter o choro, mas eu tento, de todo jeito. Assim como tento encolher os pensamentos e nada dá certo. Sabe... Eu consigo me remontar e permanecer algum tempo... Mas a vontade vem e é mais do que difícil controlar. Tem horas que simplesmente não dá.
Então, como agora, eu paro e penso no que isso pode ser. Encontro meus motivos egoístas, minhas dores contidas, as paixões nunca encontradas... São tantas coisas que encontro nas reflexões. Tantas coisas. Eu realmente queria expor aos outros, mas eu travo e nada sai daqui de dentro... Como se nada existisse.
Eu choro sozinha / Eu penso sozinha / Eu sofro sozinha.
Eu sempre me considerei uma pessoa extremamente contida em frente aos outros e hoje não sei como destruir essa imagem. Sei que algumas pessoas já me veem assim.. Já agem como se isso fosse o melhor (ou o pior) de mim . Dia desses cheguei a ouvir que tinha um "coração de gelo" e me senti extremamente desconfortável ao ouvir isso. A pessoa brincou, dizendo-me que era uma brincadeira... Mas é como dizem... Brincadeiras têm fundos de verdade. O meu modo de reagir se construiu assim e todas as pessoas ao meu redor não percebem absolutamente nada e eu não sei como fazer para que elas percebam. É estranho pensar e sentir de uma forma e agir de outra completamente diferente. É como se fossem duas pessoas morando aqui dentro.. E combatendo-se o tempo inteiro.
Eu queria soltar.. Eu queria me libertar.. Eu queria viver mais como penso em viver.. Mesmo que esteja tão cheia de incertezas aqui dentro, mas o modo como estou agora não me faz bem e só me faz temer e querer chorar. São tantos "querias...". Parece tudo bem para quem vê de fora, mas os caquinhos estão aqui dentro, perfurando-me e matando-me de pouquinho em pouquinho. O mais angustiante de tudo isso é que eu consigo enxergar o problema... Mas não enxergo... Não vislumbro a saída. Envolve família, amigos, futuro e expectativas. Eu só permaneço no "queria."
Esses dias a escrita tem me ajudado a reter algumas coisas... Mas é como eu disse, os momentos de súbito choro vêm e são mais fortes do que eu consigo segurar.
Sao forças opostas... Minha luta diária..
G.MOON 

2 comentários:

poesia e prosa para esvair

O toque O cheiro, a sensação Os nervos que se estressam Os sentimentos que sobem à minha cabeça É sempre igual Seja ...